domingo, 12 de abril de 2015

Pirata.....e a caçada aérea ao DOURADO

Caros amigos da Pirataria Alada 


 meu cordial....Olá !

Hoje estou  em Macaé, a” Meca” do Petróleo Nacional e incorporando o perfil de Piloto Sério de Offshore cumprindo um alerta noturno e relembrando os bons momentos de pirataria do bem de tempos passados. Dessa forma recordei momentos vividos na brava Nau Arpoadora nos idos de 2005






 A Nau ARPOADORA era um belo projeto australiano de catamarâ que foi modificado e construído pelo estaleiro nacional PROBOAT com propulsão hidrojato que permitia uma velocidade de 32 nós

 Por vários motivos, técnicos em 2005 foi decido mudar o sistema propulsor de hidrojato para um mais convencional de eixos e hélices que acabou sendo realizado nas instalações da PROBOAT na Verolme em Angra dos Reis.




Depois de realizada a obra de transformação fomos fazer testes de mar acompanhados pela Nau Flor do Cabo, companheira inseparável da Arpoadora nas atividades de caça submarina.Não posso deixar de mencionar que o bravo “Sea Colibri” comandado por este , bom e velho (mais bom que velho..ou vice-versa)pirata alado que vos fala também fazia parte desse GT (grupo tarefa) dedicado preferencialmente a caça de seres subaquáticos.




Dito isso...,estávamos na baia de ilha Grande  próximo a Angra dos Reis,eu com

o Sea Colibri prateado, o Pirata Assis no comando da Nau Arpoadora, o bravo pirata Junior  fiel escudeiro no comando da Nau Flor do Cabo e principalmente o Beto caçador de peixe, mais conhecido como CHEFE (de todos nós)



O dia tinha amanhecido ensolarado na enseada da praia de Araçatiba, depois de uma noite de chuva torrencial, o que prenunciava um belo dia de navegação e testes de máquinas.Assim levantamos ferro e saímos para os testes do dia
Ao final do café da manhã o CHEFE me chamou ao passadiço e declarou:

- “ Pirata hoje a noite vamos comer um DOURADO grelhado que VOCÊ vai encontrar !”

Depois dessa declaração, confesso que fiquei meio que perplexo já que “pescador” não é uma das minhas ,poucas, habilidades .Meio confuso e constrangido perguntei :

- “O senhor tem alguma ideia  de como é que EU vou encontrar esse DOURADO ??”

Foi então que o CHEFE me expôs o plano dele:

-“ Voce vai decolar com o Sea Colibri com autonomia de umas 2 horas de voo. Como choveu muito  na ultima noite , o aguaceiro vai provocar algumas avalanches de mato das montanhas ao redor da baia de ilha Grande. Nessas avalanches , é comum descerem alguns “camalotes de vegetação” que ficam boiando na superfície do mar. Os DOURADOS adoram as raízes dessas vegetações e veem até próximo da superfície para se alimentarem delas. Nesse momento se expõem aos raios solares que são refletidos pelas características das suas escamas tornado-as de fácil visualização do alto.....e aí voce voando vai vê-los ...marcar a posição GPS e informar a Arpodora por rádio. ....eu então embarco na Flor do Cabo que é rápida...venho para a posição.. mergulho e mato o peixe ....simples !!!  “

-“SIMPLES !!!!” .........concordei incrédulo !!

Missão dada é missão cumprida!....fiquei imaginando...e passei a execução.Mandei preparar e abastecer o Sea Colibri, preparei um plano de busca de quadrado crescente baseado nos antigos conhecimentos de esclarecimento e ataque dos bons tempos de” Lince Pirata”(segundo meu bom amigo e grande marinheiro Almirante de Esquadra Ilques) 

(Para melhor visualização do GT recomendo acessar o site seguro :)

https://www.youtube.com/watch?v=RqJpqtgu47U


.. e decolei mantendo 200 pés na parte da tarde buscando uma incidência solar na superfície do mar que me favorecesse a visualização dos reflexos dos DOURADOS...que viriam se alimentar nos “camalotes” .. (segundo a experiência do CHEFE).Nesse momento, a bem da verdade, já começava a duvidar da “sanidade” do CHEFE.Afinal procurar peixe de helicóptero, não me parecia algo .....realizável...por qualquer ser... com um mínimo de normalidade....mas .....




Depois de uns 30 minutos de voo e já na quarta ou quinta pernada do meu quadrado crescente visualizei algo que poderia ser um “camalote” . Interrompi o plano de busca , baixei para 100 pés, diminui a velocidade e me aproximei do alvo buscando o melhor posicionamento solar.Realizei um voo estacionário e fui gradativamente diminuindo a altura da superfície marítima até o limite seguro de uns 30 pés, setado no radar altímetro. Fiquei na posição com  olhar fixo tentado me acostumar a claridade dos reflexos solares, até que um deles me pareceu diferente.Não era o reflexo comum do sol na superfície. Parecia que vinha do fundo.Demorei a acreditar que era um peixe  mas para minha .. enorme surpresa... pude identificar !!! .. Era um DOURADO !!... e de bom tamanho.Rapidamente e sob efeito de uma grande excitação (no bom sentido que fique bem claro)...marquei a posição no meu eficiente GPS Bendix King KMD 150....apertei a tecla PTT no cíclico e transmiti :

-“ Arpoadora...Arpoadora.. aqui Colibri....alvo na ´posição  Latitude Sul 23 graus 06 minutos 21 segundos........Longitude...oeste 044 graus 20 minutos 32 segundos....aguardo instruções”

A resposta veio imediata como se todos aguardassem essa transmissão:

-“ Colibri...recebido ...mantenha posição...caçador se dirigindo para a cena de ação !”

Pensei cá com meus botões : -“ Isso não é pescaria... é uma ação de comandos em guerra”. Me senti feliz com esse pensamento





Alguns poucos segundos se passaram e reparei o bigode branco no mar causado pela aproximação em velocidade da Flor do Cabo. Ao chegar mais próximo diminuiu a velocidade se aproximando só na inércia. Ato seguinte o CHEFE se jogou ao mar de costas já equipado de óculos de mergulho acoplado ao snorquel , cinto de pesos e ....O ARPÃO ! ( a arma fatal do DOURADO). O CHEFE mergulhou...e depois de uns dois minutos voltou a superfície. Voltou a mergulhar e mais uns dois minutos voltou a superfície... e desta feita fez um sinal de positivo para a Flor do Cabo. Eu e o Colibri já havíamos nos afastado para não atrapalhar as ações...mas deu para ver quando puxou o cabo do arpão que havia sido disparado submerso e agora era recolhido ....com um belo DOURADO espetado e transpassado a “meia nau”!
Nosso jantar estava garantido....com um DOURADO que EU achei !!!



No regresso para pouso na Arpoadora...fiquei pensando o quanto me sentia privilegiado por fazer parte dessa equipe do Beto Caçador de  Peixe. O cara é muito fera e técnico nessa atividade de caçar peixe ( e em muitas outras como pude testemunhar nos anos seguintes)
Naquela noite todos reunidos nos deliciamos com DOURADO grelhado que EU tinha encontrado e contribuído para que fosse caçado.. e brindamos com uma cerveja que o CHEFE tinha ... fabricado ...kkk...um dia perfeito na Pirataria Alada ....


TIM ...TIM....Saúde


Até a próxima......

2 comentários:

  1. Olá Pirata Alado, vendo as aventuras da Arpoadora me orgulho em saber que ela esta cortando estes mares mundo afora. Fui Designer da construtora Pro Boat em 2001, via Sr. Beto, acompanhava a obra de perto. Conheço palmo a palmo esta obra, se por acaso aportar no Brasil gostaria de ve-la novamente. Abcs.

    ResponderExcluir
  2. Valeu Joe

    A Arpoadora marcou as aguas salgadas da costa brasileira , muitas vezes cruzando a 32 nós . Para bens pela sua participação no projeto.

    abraço

    Pirata Alado

    ResponderExcluir